Evanescence: Membros da Banda desejando um "Happy Halloween"!

By : Geann
A Família Evanescence passou pra desejar um Feliz Halloween para os fãs! Confira quem andou postando foto nas Redes Sociais

Amy postou uma nova foto de Halloween com o Jack em seu Instagram. Ao que parece,Amy está fantasiada de Lady Rainicorn (??Acho que sim) e o Jack de Leão ( Fazendo jus ao seu nome)




O Tim com sua esposa ( Senhor e senhora das cavernas?) e filhinha (seria uma ursinha?) também




O Troy além de fantasiado de Frankenstein,apareceu com um novo visual! Gostaram?



Já o Terry,como sempre,foi um pouco mais discreto postando uma foto sua no Twitter,(seria do ano passado? não lembro)



O único que até o momento o único que não postou foi foi o Will!







The Pretty Reckless: Confirmado próximo single!

By : Geann
"House On a Hill" será o próximo Single do TPR! Seu lançamento Mundialmente está previsto pro dia 24 de Novembro,abaixo você pode conferir a capa do single. 

Taylor postou em seu Twitter que o clipe já está a caminho 
e que será bem diferente!Ansiosos?


Tarja Turunen: "Eu não tenho interesse nenhum em ouvir Nightwish"

By : Suh Oliveira

Em uma entrevista ao Metalpaths, a musa finlandesa Tarja Turunen foi questionada do motivo de em seus recentes shows, apenas cantar três músicas dos seus tempos de Nightwish, e respondeu:

"Na verdade, atualmente eu só canto um único som deles, e às vezes, nenhum, mas com certeza é uma parte muito importante da minha história musical. Isso me trouxe onde estou e [e isso me fez] quem eu sou hoje. É uma parte de mim e sempre será. Eu não tenho nenhum problema com isso. Hoje, como artista, eu tenho a minha própria música, e isso me faz muito feliz, pois tenho meu próprio público, que em boa parte, também são fãs do Nightwish, ou eram fãs deles, quando eu estava lá.

Em seguida, o entrevistador quis saber se ela teve interesse em ouvir os dois álbuns que foram gravados depois de sua saída da banda. Tarja foi direta:

"Eu não tenho nenhum interesse em ouvir os álbuns deles. Não conheço as músicas. Cheguei a ouvir algumas coisas quando estava na Finlândia, alguns singles que tocaram no rádio, mas isso foi tudo."





Epica - Petição para incluir nova capital na tour Brasileira 2015

By : Rebecca Andrade
A banda holandesa EPICA está com datas marcadas para uma turnê pelo Brasil em 2015. Até o momento foram anunciados 5 shows em algumas das principais capitais brasileiras. Os shows ocorrerão em março e passarão por cidades como Porto Alegre, Curitiba, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e São Paulo. Por enquanto somente essas 5 capitais irão receber a banda de Simone Simons, Mark Jansen e companhia. Porém, alguns fãs estão se manifestando através da internet para incluir pelo menos mais uma cidade para estas datas.

Como é o caso de uma petição realizada por um grupo de fãs de Recife no Pernambuco. Eles querem que a cidade pernambucana seja incluída como a representante nordestina para esta turnê. Recife veio recebendo ótimos shows desde então, um exemplo foi o show dos norte americanos do DREAM THEATER, em uma excelente apresentação. A capital conta com um bom público para eventos deste porte, prova disso foi a boa receptividade em show como de IRON MAIDEN, WITHIN TEMPTATION, ONSLAUGHT, BELPHEGOR, SCORPIONS, NIGHTWISH e muitos outros. A inclusão de mais um show como este, fortaleceria ainda mais a cena na região.

Clique na imagem para ser direcionado para a petição





Fonte: Whiplash

Within Temptation: "Não somos o AC/DC que sempre faz o mesmo álbum"

By : Suh Oliveira

Em uma entrevista para o UltimateGuitar.com, a vocalista da banda Within Temptation, Sharon den Adel, tentando explicar sobre os diferentes estilos musicais existentes em seu último álbum de estúdio "Hydra", soltou essa:

"Eu não tenho certeza se os nossos fãs estavam preparados para isso, mas se você perceber, a gente sempre muda uma coisa ou outra em cada lançamento, mas com certeza, nossos dois últimos álbuns (The Unforgiving e Hydra) trouxeram mudanças bastante significativas. Nós não somos como o AC/DC que sempre faz o mesmo tipo de álbum. Você não pode fazer o mesmo tipo de música o tempo todo. Apesar de eu respeitar o fato deles conseguirem fazer isso, é algo que mesmo que nós gostássemos, não faríamos."

"Hydra", que contou com as participações de Tarja Turunen (ex-Nightwish), do cantor de metalcore Howard Jones (ex-Killswitch Engage), do rapper Xzibit, e do cantor de rock alternativo Dave Pirner (Soul Asylum), vendeu cerca de 15 mil cópias na primeira semana de lançamento e atingiu a posição de Nº 16 na Billboard 200, tendo um desempenho bem melhor que o álbum "The Unforgiving ", que atingiu a posição de Nº 50 na mesma parada.







Exclusivo: Entrevista com Sonya Scarlet, a vampira do Theatres des Vampires

By : Rebecca Andrade
Confira a entrevista que Sonya Scarlet concedeu exclusivamente para o Deusas do Rock:



Deusas - O que te estimulou a entrar no mundo da música?
Sonya - A música sempre foi parte da minha vida. Eu fui dançarina de ballet por muitos anos, começando aos 5 anos de idade.Não é um probelma pra mim deixar botas militares e estudar ballet em uma sala fechada por horas, trabalhando duro todos os dias. Aos 11 anos de idade, eu ingressei na Academia Naciona de Dança de Roma, onde passei lindos e difíceis anos. Como estudantes da academia, nós tinhámos privilégio de ter nossas lições de dança acompanhadas por um pianista com um grande talento na nossa classe.Estudando música fui integrada em cursos de músicas classica. Foi minha primeira base real, e em seguida me tornei rapidamente em algo mais forte.

Deusas - Quais artistas te influenciam?

Sonya - A vida em si me inlfluencia quando escrevo minhas letras, minhas emoções, minhas visões e desejos, minhas desilusões, amor e ódios, ira e sonhos. Tudo pode me inspirar, um livro, um poema, uma pintura... Tem muitos poetas que conversam comigo através do meu mundo escuro, tais como: Baudelaire, P.B. Shelley, D'annuzio, Wolde, Foscolo, Emily Dickinson, Coleridge e outros. Sobre música, eu amo artidtas com uma grande personalidade, como:Diamanda Galas, Siouxie, Bjork, Nick Cave, Nina Gagen, David Bowie e mais.

Deusas - Quais são suas bandas brasileiras favoritas?Sonya - Eu acho que Brasil tem um monte de sangrentas, violentas e bandas realmente talentosas. Com certeza eu amo Sepultura desde que eu era muito jovem, e eu gosto de Krisiun, eu vi tanto deles ao vivo e eles realmente agitam.Eu conheço também Torture Squade, Sarcofago, Claustrofobia e Revenland.

Deusas - Você recentemente gravou um filme, Cult Of Lamia. Como foi atuar?
Sonya - Nós começamos Cult of Lamia há alguns anos mas atualmente há um problema com a produção e tivemos que pará-lo. Não é nossa culpa, mas nesse mundo isso acontece então nós realmente esperamos ter a chance de avançar o mais breve possível.

Deusas - O Theatre des Vampires está trabalhando em um novo álbum. Você pode nos dizer alguma novidade sobre ele? Sonya - Nós estamos trabalhando duro nesse álbum, demorando muito porque queremos cuidar de cada pequeno detalhe.  Tudo começou com uma visão, eu tive um lampejo de inspiração de ler algumas coisas e me apaixonei com algumas histórias reais e personagens que são tão forte e terrível, a realidade muitas vezes vai além da fantasia e é chocante. De repente eu entendi o que eu queria falar nas minhas letras ea música seguiu estas ideias de uma forma perfeita. o produtor com a banda está fazendo um grande trabalho.
Esta é uma viagem através da loucura humana, através da maldade do homem e suas fobias. Existem algumas personagens femininas muito fortes para seguir o caminho escuro da Medusa e Carmilla. Nosso último álbum é como uma onda que arrasta para longe, passando a tempestade acalmar e voltar novamente. Existem alguns momentos violentos e algumas peças delicadas e introspectivas. Será 100% TDV. Eu não posso dizer mais agora.
Deusas - Quais os planos após o lançamento do novo álbum do TDV?Sonya - Estamos planejando nossa próxima turnê. Queremos promover o nosso novo álbum ao redor do mundo todo e na América Latina, obviamente, é uma das nossas prioridades.

Deusas - Com quais artistas você gostaria de fazer um "featuring"?Sonya - Eu não sei, eu gosto do Andrew Eldritch (Sister of Mercy), Nick Holmes (Paradise Lost) ,Adrian Hates (Diary of Dreams)
Deusas - N fale um pouco sobre o VampirismoSonya - O charme do vampirismo é certamente forte e muito antiga. Há tantos romances e contos relacionados com o folclore, livros e pinturas que representam o vampirismo em todas as suas formas a partir do vampiro visto como um animal sem charme, uma morte a caminhar sem discurso que sobe para trazer com ele a sua família passado para tornar-se mais tarde um espécie de dândi, um recurso sedutor e elegante, com a cultura, a riqueza, os castelos, a beleza que mata a sua vítima com uma dança macabra. Eu amo todas as histórias sobre ele e o significado profundo escondido atrás de seu manto ... a pesquisa da vida eterna através do próprio sangue, mediante a mesma vida ... a chance de viver uma outra vida longe da morte, tornando-se a própria morte.
Deusas - Como é ser uma vampira?Sonya - É um estado de espírito, uma maneira de vida... Eu não posso dizer-lhe como se tornar um vampire... Apenas não assista muito seriados de TV.

Deusas - Seu livro e cd favorito têm alguma influência no seu trabalho? Quais são eles?Sonya - "The ballad of reading gaol and the Picture of Dorian Gray" (wilde), "Kubla Khan" ( Coleridge) , "Les fleurs du Mal" (Baudelaire), "The Vampyre" (Polidori), "Dracula "(Stocker), "Interview with the Vampire" e The Vampire Lestat de Ann Rice e mais.Sobre a música Eu também adoro música clássica como Debussy, Mozart, Scarlatti, Tchaikovsky. Eu acho que a música clássica teve uma forte influência na nossa música. Estamos a trilha sonora de seu melhor pesadelo.

Deusas - Deixe uma mensagem para nós, seus fãs brasileiros, estamos ansiosos para seu retorno ao Brasil com os Theatre des VampiresSonya - Obrigado por sua entrevista e um beijo sangrento para todos os nossos fãs brasileiros. Vocês são incríveis, como todos os nossos fãs na América do Sul. Eu os amo tanto. estamos ansiosos para voltar com o nosso novo álbum, então... Espere por nós e fique atento!!

EPICA: Mark Jansen confirma 5 shows no Brasil!

By : Suh Oliveira



O guitarrista, Mark Jansen, conversou exclusivamente com o Gazeta do Oeste – via Skype –, e falou tudo sobre o lançamento do último álbum, ‘The Quantum Enigma’, futuros lançamentos, e ainda deu uma notícia exclusiva para o Gazeta sobre o Brasil.

Pedro Gianelli: Há muito tempo, não vemos um álbum do Epica com o mesmo estilo do antecessor. Algumas vezes temos álbuns de Thrash Metal, outras de Metal Sinfônico. Por que não conseguimos colocar o Epica em um só gênero?

Mark Jansen: Sei que é preciso encaixar em um só gênero, mas isso ocorre porque colocamos tudo que gostamos de ouvir. Desde adolescentes escutamos um pouco de Death Metal, um pouco de Black Metal, escutamos Hard Rock, escutamos diversos estilos de metal. Muitas vezes colocamos algo sinfônico, e isso é o Epica. Mesmo se colocarmos algo Thrash, vai ter algo sinfônico, e vai soar como Epica. Essa que a nossa grande fantasia, temos a liberdade de tocar o que gostamos e usar tantos estilos diferentes.

P.G.: Um exemplo disso é o álbum ‘The Quantum Enigma’, não conseguimos dizer se é algo do Gothic Metal ou Metal Sinfônico, apenas que é um álbum maravilhoso! Talvez o Epica esteja em seu auge, com músicas pesadas, mas com um certo balanço, concorda comigo?

M.J.: Sim, também não sei descrever que tipo de música é exatamente. Quando o Epica começou, acho que éramos nomeados como Gothic Metal, mesmo com influências diferentes. Acho que o novo álbum é mais pesado, acho que você não pode chamar isso de Gothic Metal mais, mas você pode chamar de Metal Sinfônico, ou Death Metal com muitas influências sinfônicas. É difícil para mim assim como para você, descrever um estilo de uma música. É difícil colocar a música em uma só direção e seguir em frente. É uma fantasia. Talvez seja o jeito mais fácil de descrever o Epica (risos).

P.G.: Vocês lançaram ‘The Quantum Enigma’ este ano, mas vocês já estão compondo, pensando em um novo álbum, ou ainda é muito cedo para isso?/

M.J.: O engraçado é que, por causa dessa turnê cancelada, começamos a escrever nosso novo material. Então as coisas têm um lado bom, e outro ruim. Temos um mês de tempo livre, sem turnês, apenas tempo livre, então esta é a hora de começar a escrever com calma um novo disco. Estou tendo muita inspiração estes dias, e tendo algumas boas surpresas com este novo material. Então acho que ele sairá em 2016, o tempo voa (risos).




P.G.: Para os últimos álbuns, vocês mudaram o jeito de compor?

M.J.: Sim, especialmente nos dois últimos álbuns. Acho que a razão para isso é que... quando Isaac juntou-se à banda, mudamos um pouco. E logo depois Rob Van der Loo. Muita coisa mudou. Agora temos um belo time de compositores, e escrevemos juntos as canções de cada um, é uma coisa que não fazíamos muito no passado. Antes escrevíamos sozinhos, e não mudávamos muita coisa antes de entrar no estúdio. Agora, nas novas músicas, sentamos e começamos a trabalhar nas músicas de cada um intensamente, muitas ideias surgem, e todas são levadas a sério, então quem teve a ideia não importa, testamos cada uma, e a melhor fica no final. Essa intensidade no trabalho fez toda a diferença nas músicas, acho que a qualidade está cada vez mais alta. Acho que essa é a diferença entre o passado e agora, demorávamos mais e trabalhávamos com mais pessoas de fora da banda. Eu realmente amo este novo jeito de trabalhar, mas para funcionar, você tem que estar com a mente aberta, porque muitas das vezes a sua própria canção vai mudar. É difícil quando você é jovem, às vezes você não vai concordar com isso, mas quando você fica mais velho, você começa a enxergar as vantagens (risos).

P.G.: Sobre turnês, vocês tocaram na Colômbia em setembro. Alguns fãs brasileiros estão perguntando: “por que não o Brasil?” Então, por que não o Brasil (risos)?

M.J.: Isso é fácil de explicar (risos), primeiramente, gostaria de anunciar que vamos tocar no Brasil em março do ano que vem, é 99,99% de certeza. Então essa é a razão de não tocar no Brasil junto com a Colômbia. Simone tem um filho pequeno, e ela não pode sair em turnês extensas, então tivemos que cortar uma parte da turnê Sul-Americana, e fazermos em duas partes. Primeiro, fomos na Colômbia, e na segunda metade, Brasil, Argentina, Chile, Peru e Paraguai. Estou muito animado para isso, como eu disse, é 99,99% de certeza, em breve será anunciado oficialmente.

P.G.: E você já sabe quais são as cidades brasileiras que estarão na turnê?

M.J.: Sim, serão: São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre e Belo Horizonte.

FONTE:


Resenha: Lacuna Coil na Ópera House

By : Sara Sthefany
Confira a tradução da matéria postada pelo site Live in Limbo:

lacunacoil-operahouse-2014

Sobre o tema dos espetáculos, Lacuna Coil entrou no palco e havia um notável membro ausente. Foi baixista Marco Biazzi, quem está doente de verdade (mas está bem, quem nos prometeu foi a vocalista Cristina Scabbia). Com line up cheio de mudanças que afetaram recentemente a banda (Criz de baterista e Pizza na guitarra), esta é a primeira vez que o novo line up de Lacuna Coil foi executado em Toronto (guitarrista assumiu a maioria dos direitos de guitarra sozinhos, enquanto o novo baterista não).

Apesar destas mudanças, a banda ficou contente de estar lá. Ambos os vocalistas de bandas Scabbia e Andrea Ferro foram fixados na participação da multidão, como eles eram quando eu os vi antes (nada mudou). Lacuna Coil mostra sempre seguiram o protocolo de show de rock padrão, ainda sentem-se sempre especiais, e esta noite não foi diferente. Talvez seja por causa da apreciação autêntica da banda para seus fãs. Scabbia sentou-se em um amplificador e nos contou uma história recente de como alguém desejou a propor a sua esposa e pediu-lhe para fazer um vídeo para a ocasião. Ela disse que é momentos como este que lembrá-la que sua base de fãs é verdadeiramente como uma família. Se for esse o caso, é porque foram sempre cuidou de seus shows com um enorme sentido de hospitalidade italiana.

Principalmente mais novas músicas foram tocadas, e apenas uma canção de metal gótico mais antiga da banda fez uma aparição (Heaven is a Lie de 2002). Tudo o resto veio do álbum Karmacode ou sucessores. Se qualquer banda pode beneficiar de um show que passou por um catálogo inteiro, é Lacuna Coil, cujos trabalhos anteriores são tão bonitos que eles gostariam de acrescentar muitas dinâmicas de seu conjunto. Apesar de tudo, o show principalmente tinha canções de rock intenso e era para ser divertido. Eles tocaram seu cover popular da banda Depeche Mode, Enjoy the Silence, onde o falsete no final provou que ainda Scabbia entende de música (mesmo com 42 anos). Cada membro estava no topo de seu jogo, com o baterista mesmo estourando seu bumbo de tocar tão fortemente. Após cerca de uma hora e vinte minutos, eles foram feitos (mesmo com seu encore), e eles estavam ansiosos para falar com os fãs em um M&G (estas foram dadas para fora durante o show). Seu amor por seus apoiadores sempre foi claro, mas uma vez eu gostaria de ver o Lacuna Coil com um conjunto de longo, de grandes variações. Eles já são ótimos ao vivo, mas eles têm a capacidade de ser verdadeiramente requintados e até mesmo acima de muitos contemporâneos de metal pop. De qualquer forma, como sempre foram.

Receba as nossas atualizações pelo Facebook. Curta a nossa página:

- Copyright © Deusas do Rock - 2014 - Powered by Deusas Do Rock - Designed by Naldo -